#BeCreative: Ziraldo e Luciana Savaget encantam colombianos em Medellín


Histórias de Sucesso
#BeCreative: Ziraldo e Luciana Savaget encantam colombianos em Medellín

O ano era 1970. Tinha pouco tempo que o homem havia pisado na lua e aquele cara em especial, o astronauta Neil Armstrong, junto aos demais integrantes da Apolo 11, fazia um tour mundial para celebrar o feito e fortalecer a imagem norte-americana no mundo, que àquela época vivia a plenitude da Guerra Fria entre Estados Unidos e União Soviética, as duas potências de então.

Nesse giro pelo mundo, Armstrong encontrou-se no famoso hotel Copacabana Palace (Rio de Janeiro) com um então jovem comunista em início de carreira, que publicara seu primeiro livro no mesmo ano em que o homem chegou à lua (1969). Esse jovem era Ziraldo, escritor, ilustrador e artista brasileiro traduzido para mais de 10 idiomas e presente em diversos países. O que unia os dois homens era Flicts, a não-cor que na verdade era a lua, e também o nome do primeiro livro de Ziraldo.

Quando o autor brasileiro conheceu o astronauta, este o cumprimentou. Ziraldo devolveu o cumprimento e ouviu de Armstrong: "Eu só fui à lua. Você publicou um livro. E a lua é Flicts". O elogio ficou impresso para sempre, com a letra de Armstrong, no final do livro Flicts. E Ziraldo guarda no bolso essa pitoresca história, que foi relatada na última terça-feira (12) na Fiesta del Libro y la Cultura de Medellín.

Bate-papo entre amigos

Mas a chegada a essa história foi antecedida por outro momento impressionante: visivelmente emocionada por estar na presença de Ziraldo, a escritora colombiana Yolanda Reyes, mediadora da conversa entre os autores brasileiros Ziraldo e Luciana Savaget, fez questão de ler Flicts e destacar sua influência sobre uma geração inteira de escritores colombianos, incluindo ela mesma.

Em um debate que mais pareceu um bate-papo ora entre velhos amigos ora entre fã e ídolos, houve também espaço para que Luciana contasse os antigos vínculos entre sua família e Ziraldo e o começo de seu caminho como escritora. "Tive a sorte de crescer numa família de leitores e minha mãe, a jornalista Edna Savaget, uma das pioneiras da televisão brasileira, me incentivava a sonhar. E eu sempre quis ser autora, escrever", revela Luciana.

O sonho se realizou primeiro como jornalista, ofício exercido até hoje, mas agora compartilhado com a literatura infantil.
"Eu vivia um conflito, ja 'escrevia para viver', mas sentia que aquilo me distanciava do meu sonho de produzir literatura infantil. Foi então que tive a ideia de mesclar realidade e literatura e produzi obras sobre grandes personagens brasileiros, como Lampião, Maria Bonita, Antônio Conselheiro, entre outros. Aí começou verdadeiramente minha realização", contou a autora.

O bate-papo foi tão descontraído que, ao final, público e autores lamentaram o fim da conversa. E o palco foi imediatamente invadido por quem estava presente em busca de autógrafos dos três escritores. Ficou claro que os dois brasileiros são estrelas internacionais e admirados pelo público colombiano, que ainda poderá desfrutar de vários destaques da literatura brasileira até o dia 17 de setembro, quando termina a Fiesta del Libro y la Cultura de Medellín e os autores brasileiros voltam pra casa. Não sem antes distribuir simpatia e cativar ainda mais o público do país vizinho.

A participação brasileira na Fiesta del Libro y la Cultura de Medellín é resultado de uma parceria entre a Embaixada do Brasil na Colômbia e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Conheça mais histórias de sucesso de empreendedorismo brasileiro no exterior em www.bebrasil.com.br/pt