#BeCreative: mídia brasileira destaca participação do Brasil no SXSW


Direto ao ponto
#BeCreative: mídia brasileira destaca participação do Brasil no SXSW

A participação do Brasil, que teve a segunda maior delegação estrangeira no South by Southwest (SXSW), festival de inovação e economia criativa, em Austin (EUA), ganhou destaque nos principais veículos de comunicação do país. O site G1, por exemplo, enalteceu a chegada das grandes empresas brasileiras ao evento, depois da “invasão” de startups brasileiras na edição anterior. E lembrou que Apex-Brasil selecionou 77 empresas neste ano – em 2017 foram 62. “Temos melhorado nossa participação internacional. O foco eram as pequenas empresas, algumas médias, mas agora, temos as grandes”, comentou Marcia Nejaim, diretora de negócios da Apex- Brasil. “Queremos mostrar para o mundo o melhor do Brasil”, disse. Além da delegação brasileira coordenada pela Agência, outras três grandes empresas (Ambev, Natura e Embraer) levaram a causa “Brazil inspires the future” (Brasil inspira o futuro).

Em outra reportagem, o G1 afirmou que o SXSW admite fazer edições internacionais e que o Brasil está no radar. Neste ano, 1.200 brasileiros foram ao evento. Tracy Mann, uma das responsáveis pela organização e marketing do festival, destacou a ajuda da Apex-Brasil para levar mais empresas ao evento. Segundo a matéria, a norte-americana considerou os painéis da Embraer, em parceria com a Uber, e da Natura, com o criador da série Westworld, emblemáticos, pois mostram como o país está lado a lado com as potências de inovação mundiais. “Brasileiros estarem aqui, conscientes do que está acontecendo no mundo, aumenta a possibilidade de inovação”, definiu.

Já a reportagem do jornal O Estado de São Paulo mostrou os produtos inovadores das startups brasileiras, como o MovPak do engenheiro baiano Felipe Junquilho, 32 anos, que apresentou o misto de mochila com skate criado por sua startup. As primeiras 350 unidades saíram de fábrica no fim de 2017. Junquilho está, segundo o texto, mudando a sede de seu negócio de Salvador para Los Angeles. A matéria conta que a MovPak é uma das empresas que representam o Brasil, selecionadas pela Apex-Brasil. Em 2018, a Agência investiu R$ 5,3 milhões em ações no evento, alta de 82% em relação a 2017. O número de inscritos do País superou 1,3 mil em 2018, consolidando o Brasil como segunda potência do evento. “Os brasileiros têm potencial de criar negócios globais”, afirmou Márcia Nejaim.

A revista Pequenas Empresas Grandes Negócios contou que uma das responsáveis por essa inovação brasileira no SXSW é a Apex-Brasil, cuja missão é a de incentivar a internacionalização de negócios brasileiros e que trabalhou com a expectativa de movimentação de US$ 40 milhões (R$ 130 milhões). Além disso, segundo o texto, a Apex-Brasil criou o “lounge Be Brasil”, um espaço de convivência para empresários brasileiros conhecerem e se encontrarem com contatos que fizeram durante o evento.

Ao mesmo tempo a revista Época NEGÓCIOS entrevistou Marcia Nejaim, que falou sobre as ações da entidade no evento e do esforço em mostrar o país como um bom parceiro de negócios, além do interesse das empresas se tornarem negócios internacionais. Segundo ela, a crise econômica do país “contribuiu” para o foco no exterior. “Com o mercado interno em dificuldades, buscar outros países se tornou uma necessidade”, disse. “Tudo o que acontece aqui tem a ver com os objetivos da Apex-Brasil. Existimos para promover a internacionalização de negócios brasileiros, atrair investimentos estrangeiros e contribuir para o desenvolvimento do país”, explicou à revista.

Em outra reportagem, a revista Época NEGÓCIOS contou com a ajuda de Márcia Nejaim para listar os 5 motivos que mostram a importância do SXSW para o empreendedor brasileiro. "Nós, brasileiros, temos que estar ali. É um lugar natural para o empreendedor brasileiro. O nosso jeito criativo chama a atenção do mundo todo”, acredita. Em 2014, primeiro ano da ação, a Apex-Brasil levou 28 empresas para Austin, que movimentaram US$ 7,5 milhões. Em 2017, foram mais de US$ 38 milhões. Segundo ela, as razões para o empreendedor se atentar ao SXSW são: obter conhecimento e exposição, fazer negócios, ter um diferencial para o mercado interno e melhorar o perfil empreendedor.

Por fim, o jornal Meio e Mensagem apresentou, em reportagem, produtos e serviços inovadores no SXSW, desde startups até líderes da indústria, apresentados na feira de negócios, como um pequeno robô que vai até a sua porta para te encontrar e te segue durante o dia, interagindo com você, trabalhando como assistente pessoal. Ou o estande de uma empresa que pretende mandar pessoas à lua até 2020. Segundo o texto, há, ainda, no SXSW um software (em fase beta) que replica a voz de qualquer pessoa. A matéria cita o Trade Show que expôs produtos de 15 das 77 empresas levadas pela Apex-Brasil e enaltece a chance de bater um papo com profissionais do nosso país.

Veja mais:

Confira as matérias completas:

G1:

Grandes empresas brasileiras estreiam no SXSW e buscam notoriedade no festival

South by Southwest admite edição fora dos EUA e Brasil está no radar

Estado de São Paulo:

SXSW 2018: Startups brasileiras apostam em skate elétrico e WhatsApp para empresas

Pequenas Empresas Grandes Negócios:

SXSW 2018: crise fez empresário brasileiro olhar mais para o exterior

Época Negócios:

5 motivos que mostram a importância do SXSW para o empreendedor brasileiro

Meio e Mensagem:

A Feira de Negócios do SXSW 2018

Casos de sucesso de empreendedorismo brasileiro no exterior: http://www.bebrasil.com.br/pt

 


Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *